top of page
  • Foto do escritorAndreia M. Mortari

GUIA PRÁTICO PARA ESCOLHER UMA PSICÓLOGA COMPETENTE.

OBS: O texto todo se refere “a” psicóloga, “a” profissional. Quando ler, estenda também para profissionais homens ok?

A decisão por fazer psicoterapia não acontece de um dia para o outro. Você vai se constatando em dificuldade e chega um momento em que precisa decidir se encara seus problemas de frente ou continua escondendo debaixo do próprio tapete.


O momento de decisão requer iniciar outro processo, que é a escolha da profissional.

Para facilitar sua vida, preparamos um guia prático para você encontrar a melhor profissional dentro de suas possibilidades. Acompanhe nossas dicas!


1. Pesquise a profissional na internet:


Há muitas profissionais boas no mercado, mas existem aquelas fora da curva, que se utilizam de técnicas não regulamentadas, por exemplo. A internet lhe trará não só as profissionais que estão em seu raio territorial, como também aquelas que podem estar distantes de você, mas que prestam um excelente serviço on-line.


Uma boa profissional não é só aquela bem avaliada (apesar disto também contar), mas aquela que tem conteúdo consistente, ou seja, consegue transmitir seu trabalho de forma transparente e objetiva.


2. Peça indicação para conhecidos e amigos:


Muitas pessoas fazem psicoterapia e elas estão bem próximas de você. Além disso, profissionais da área da saúde geralmente indicam boas psicólogas. Pergunte ao seu médico, fisioterapeuta, enfermeiro, educador físico.


3. Não seja Maria-vai-com-as-outras:


Lembra da época em que fazer musculação era moda? Depois passou para Pilates, Treino Funcional, Yoga e assim vai. O mesmo se aplica para a psicologia. Não é porque todo mundo faz com determinada profissional ou em uma determina abordagem, que isso serve para você. É muito importante pesquisar as diversas abordagens que a psicologia trabalha. Escolher aquela que mais se encaixa com sua visão e forma de pensar, será o primeiro vínculo entre você e sua futura terapeuta.


4. Confira o registro da profissional no Conselho Regional de Psicologia – CRP:


Toda psicóloga precisa ter registro no Conselho. Quando há divulgação de seu trabalho, seja por meio digital ou não, é obrigatório constar seu registro e o código da região na qual está cadastrada (por exemplo: região 12 – Santa Catarina).


Se o atendimento for online, a profissional também precisa estar cadastrada na plataforma denominada e-Psi.


Você pode ter acesso ao registro e cadastro no e-Psi, no site do CFP: https://site.cfp.org.br/


5. Leia textos, publicações, artigos e outros conteúdos da profissional.


Hoje em dia, tudo está na rede. Uma boa psicóloga mostrará sua abordagem e forma de trabalhar através de conteúdos consistentes divulgados em blogs, redes sociais, sites. Profissionais da Psicologia precisam ter paixão pela aprendizagem e busca constante de conhecimento. Se você não encontrar nenhum tipo de conteúdo, desconfie.


6. No primeiro contato, peça à profissional que explique rapidamente sua forma de trabalhar:


Esse tipo de pergunta é comum e gostamos de responder já no primeiro contato. A explicação será de forma objetiva, dando uma noção geral do trabalho, pois aprofundaremos melhor nas primeiras sessões. Portanto, não tenha receio de perguntar e tirar suas dúvidas. Para além de um processo de autoconhecimento, você está pagando por um serviço e tem todo direito de saber como ele será. Além disso, o primeiro contato já indicará se você se identifica com a profissional, ou seja, se rolou uma empatia entre vocês, tão necessária para estabelecer a confiança durante todo o processo.


7. Pergunte valores e horários, e avalie suas possibilidades:


Terapia é investimento e de longo prazo. Tenha ciência que mudanças acontecerão. Dificilmente uma pessoa que passa por um processo psicoterapêutico não usufrui dos benefícios que a terapia proporciona ao longo de sua vida. A psicoterapia é determinante e, portanto, valerá todo seu investimento financeiro.


De qualquer forma, avaliar se o valor da sessão cabe em seu bolso é fundamental.

Geralmente as profissionais da área negociam valores e singularidades. Além disso, existem diversos serviços com preços mais acessíveis e até gratuitos.


Tenha em mente que nem todo profissional que cobra caro é competente.

Não deixe de procurar por esse motivo!


8. Inicie seu processo de mudança!


Deixe a profissional conduzir o processo e se não tiver tendo resultados, discuta com sua terapeuta, de forma a avaliarem juntos o que poderá estar ocorrendo.


Uma boa profissional não passará a mão em sua cabeça, não lhe dirá o que é certo ou errado, não decidirá por você ou terá respostas prontas, nem tampouco deixará a sessão correr solta.


Uma boa psicóloga fará localizações, devolverá perguntas e reflexões, te colocará de frente com suas emoções. Terá neutralidade e respeitará o tempo da sessão e o espaço terapêutico.


Em uma boa sessão terapêutica não tem papo furado. Você não ficará falando sem parar (e a psicóloga te olhando com cara de paisagem), nem tampouco achará que seria a mesma coisa se estivesse falando com seu melhor amigo.


Se entregue ao máximo ao processo e faça valer seu investimento!

39 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page